sábado, 12 de janeiro de 2013

PREREITURA DE AFOGADOS DIVULGA CALENDÁRIO DE PAGAMENTO DOS PROFESSORES REFERENTE AO MÊS DE DEZEMBRO 2012


 

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, anunciou na manhã de hoje (12), o calendário de pagamento do salário dos professores municipais referente ao mês de Dezembro de 2012. Como não é possível pagar duas folhas salariais no mesmo mês, a folha de Dezembro será divida por categorias e seguindo os seguintes critérios: a) Atender primeiro o maior número possível de professores que estejam em sala de aula; b) Atender prioritariamente professores com menor salário.

11.01.2013 – Receberam os professores dos anos iniciais, educação infantil, centro de excelência e os contratados da educação infantil. Nessa primeira leva, serão pagos, integralmente, 149 professores. Os pagamentos foram efetivados ontem e representam um montante de R$ 254.065,68 injetados diretamente na economia do município.

12.02.2013 – Serão pagos os professores dos anos finais, contratados dos anos iniciais e finais, readaptados e os de função efetiva – gratificada. Serão pagos 113 professores, folha de R$ 231.095,28.

12.03.2013 – Receberão professores da equipe técnica e serão feitos os repasses do IPSMAI – Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Afogados da Ingazeira. Serão pagos 47 professores, folha de R$ 143.450,40

Responsabilidade – O Governo Federal é o único responsável pelo atraso. A gestão passada, comandada pelo Ex-Prefeito Totonho Valadares, tinha a previsão de receber 11 milhões de Reais, em recursos do Fundeb. O Governo Federal repassou apenas 10 milhões. Isso porque, em 28 de Dezembro, no apagar das luzes do ano passado, foi editada um portaria interministerial reduzindo de R$ 2.096,68 para R$ 1.867,15 o valor anual repassado por aluno matriculado. A Portaria Interministerial nº 1809 de dezembro de 2011 (que estabeleceu o valor R$ 2.096,68) e a Portaria Interministerial nº 1495 de 28 de dezembro de 2012 (que reduziu o valor para R$ 1.867,15) podem ser conferidas no site www.fnde.gov.br
 
“Além da redução dos repasses do FPM, as Prefeituras sofreram outro duro golpe com essa medida. O Governo Federal está inviabilizando completamente o município como um ente federativo. É preciso um levante nacional de Prefeitos contra mais essa agressão à saúde financeira dos municípios, não podemos nos calar,” declarou José Patriota. 
(Ascom)

Nenhum comentário:

Postar um comentário