quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

AUDIÊNCIA ESCUTA ÚLTIMAS TESTEMUNHAS NA AÇÃO DO PT CONTRA PATRIOTA. JUSTIÇA NÃO ESTIPULA DATA DE SENTENÇA.

Foi realizada na tarde desta terça-feira (05) no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano mais uma audiência da ação movida pelo PT de Afogados da Ingazeira contra o atual prefeito José Patriota e a vice Lúcia Moura, acusados de favorecer a comunidade de Pintada com a perfuração de um poço artesiano e a doação de horas/máquina em troca de votos, durante a última campanha eleitoral.

Essa foi a quarta audiência do processo, onde foram ouvidas três testemunhas de defesa, entre elas a Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) e coordenadora do Comdrur, Dôra Santos, filiada e licenciada do Partido dos Trabalhadores.

Em seu depoimento, Dora Santos especificou os trâmites necessários para liberação de projetos para comunidades rurais através de convênios com órgãos do Governo do Estado como o Prorural, o IPA e a Ceralpa, rebatendo as acusações de que José Patriota tenha interferido junto ao IPA cobrando agilidade na liberação do referido poço para a Pintada, no intuito de angariar votos.

Patriota foi acusado pelo PT de uso eleitoral de poços. Após última audiência, expectativa para anúncio da sentença, sem data definida
 
Como as testemunhas de acusação já foram ouvidas pela Justiça nas audiências anteriores, o processo segue para as alegações finais e posteriormente será dada a sentença da Juíza Eleitoral Maria da Conceição Godoy Bertholini.

Considerando o grande número de processos a serem analisados e a pauta de júris populares para os próximos meses, o resultado do processo não tem prazo para sair, segundo informação da própria Juíza a Advogados de PT e Frente Popular.

Acusação : O PT alega na ação que o prefeito eleito, Patriota, teria fornecido em troca de votos, a perfuração de um poço artesiano e a doação de quarenta horasmáquina para limpeza de um açude, na comunidade da Pintada.

Ainda esta semana, na quinta-feira, acontece o início dos depoimentos da Ação do Ministério Público, baseado em investigação da PF contra o candidato, com base em uma pasta encontrada com Janaina Sá, com nomes de supostos beneficiários de campanha. Janaína  atuou na área jurídica do governo Totonho. 
(nilljunior)

Nenhum comentário:

Postar um comentário