sábado, 15 de novembro de 2014

Mais delações vêm por aí. E de peixe graúdo


Não resta dúvida de que com essa nova leva de executivos de empreiteiras presos, a lista dos que toparão um acordo de delação premiada aumentará exponencialmente.

A prisão do vice-presidente da Engevix Gerson Almada, na operação de ontem da PF, se explica pelo fato de ser um dos raros sócios de uma fornecedora da Petrobras a tratar dos assuntos heterodoxos pessoalmente com Paulo Roberto Costa. Não mandava seus executivos, como é a regra,  fazia ele próprio.

O balanço da Petrobras do terceiro trimestre que deveria ser publicado ontem foi adiado por causa da recusa da auditoria externa de assiná-lo.

Mas o balanço verdadeiro, o que dá para fazer por enquanto, é o seguinte: dois ex-diretores da Petrobras presos, um presidente de subsidiária (Transpetro) afastado e a reputação da maior empresa brasileira jogada no lixo. Não é pouco. (Lauro Jardim - Veja Online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário